Ano letivo começa hoje em São José dos Pinhais Município conta com 112 unidades de ensino, incluindo Cmeis e Educação Especial Escolas de São José dos Pinhais estão prontas para o ano letivo de 2018 (foto: Edison Renato/PMSJP) Em São José dos Pinhais, as aulas nas escolas da Rede Municipal, bem como Centro Municipais de Educação Infantil, terão início, hoje. Segundo a Secretaria de Educação, em 2018 são aproximadamente 31.100 alunos matriculados, sendo 800 alunos da Educação Especial, 8.000 na Educação Infantil, 22.000 no Ensino Fundamental e 300 da Educação de Jovens e Adultos. Atualmente a estrutura da Secretaria conta com 112 Unidades de Ensino, divididas em Centros de Educação Infantil — com 44 unidades, 58 unidades de Escolas de Ensino Fundamental e 10 de Educação Especial. A secretária Municipal de Educação, Ema Karam, informou que no ano letivo de 2017 foram ofertadas 56 novas turmas de Educação Infantil, onde se destaca a Educação Integral em 12 unidades do município. Ema comentou ainda outros números expressivos da gestão, “constatamos que, no ano de 2017, aumentamos em 100% a realização das Avaliações Psicoeducacionais, resultando em 250 estudantes em acompanhamento Psicopedagógico”, finalizou a secretária. A Educação em São José dos Pinhais, também em 2017, aumentou seu quadro de servidores, por meio da nomeação de 223 professores, 23 pedagogos e 33 educadores sociais, que possibilitaram a melhoria das condições de trabalho dos profissionais da Educação e a qualidade das condições de ensino à população.

No Paraná, aqueles que estiverem nessa empreitada devem redobrar a atenção na hora de contratar o serviço. É que a maioria dos veículos de que servem a tal finalidade estão em situação irregular, segundo levantamento do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) em parceria com o Departamento de Trânsito (Detran-PR). O estudo realizado pelas instituições mostrou que dos 3.932 veículos oficiais municipais e estaduais destinados à condução de alunos da rede pública de ensino, 1.744 não possuem cadastro de inspeção veicular e 1.942 estão com a inspeção veicular atrasada. Isso significa que 93,2% dos veículos apresentam algum tipo de irregularidades. Quanto aos veículos particulares para realização do transporte escolar, cuja frota chega perto dos 7 mil veículos no Estado, a Associação Paranaense dos Organismos de Inspeção Acreditados (Apoia-PR) aponta que o cenário é mais obscuro e, por isso mesmo, também mais preocupante. “Os veículos oficiais são públicos, tem como rastrear. Então se o que temos de concreto, que são os veículos oficiais, estão nessas condições apontadas pelo TCE, a situação dos veículos particulares, que estão fora do radar, é muito mais preocupante”, aponta Daniel Guimarães Ariete, membro da diretoria da Apoia. A assessora jurídica da Apoia, Fernanda Krucinski, corrobora com as afirmações do colega, destacando ainda que os veículos em situação irregular não estão apenas descumprindo a legislação, mas colocando crianças em risco diariamente. “Se fosse analisada toda a frota, incluindo as vans e os ônibus particulares, o cenário seria ainda mais preocupante. Isso significa que são crianças, adolescentes e jovens que estão diariamente expostos aos perigos do trânsito”, alerta a advogada. O trânsito, inclusive, é o principal responsável pela morte de crianças e adolescentes com menos de 14 anos no Brasil.

Nas horas vagas, os passeios e viagens em família imperavam. E na garupa da motocicleta do marido Moisés, curtia a liberdade da estrada. Muito sociável e querida em Campo Largo, o falecimento de Ângela foi sentido pelos moradores pelo legado em educação deixado por ela. Ao que tudo indica por tristeza pela perda da dona, a cachorrinha Dory morreu menos de um mês depois do aneurisma cerebral que vitimou Ângela aos 49 anos.

são josé dos pinhais